ARTIGO

Educação e lazer na terceira idade

terça-feira, 17/04/18 12:01

Estudos mostram que para um envelhecimento saudável a atividade é um elemento essencial para manutenção das habilidades físicas e cognitivas. Neste contexto, tanto atividade física quanto atividade intelectual auxiliam na manutenção da nossa qualidade de vida. Ainda dentro desta perspectiva, a educação ao longo de toda a vida, inclusive na terceira idade, é considerada fundamental para um envelhecimento saudável e bem-sucedido.

Para as pessoas idosas, o tempo livre aumenta a partir do momento em que se aposenta. Deve-se ter muito cuidado nesta fase da vida para não assumir funções familiares exaustivas pelo fato de se ter um tempo livre e deixar de cuidar da própria existência. Buscar preencher o tempo livre com atividades prazerosas e necessárias para uma boa saúde proporciona uma velhice bem-sucedida.

O trabalho possibilita ao ser humano se sentir integrado socialmente. É através do trabalho que a pessoa se sente útil e reconhecida. Portanto, as atividades realizadas pelos idosos após a aposentadoria devem possuir um sentido vital para eles, do contrário tornam-se desinteressantes. Profissão, biografia, valores e metas precisam estar em sintonia com a atividade para que ela seja significativa para a pessoa. Não basta ter o tempo livre e escolher qualquer atividade depois da aposentadoria, pois provavelmente não conseguirá lhe dar continuidade e rapidamente será interrompida.

Quando nos aposentamos, passamos a ter um tempo livre, maior para o lazer. Porém, o lazer só é valorizado quando possui algum sentido vital e está em sintonia com os valores da pessoa. Assim, o lazer tem uma relação muito próxima com a educação e com os valores da pessoa.

O lazer é capaz de proporcionar um momento de socialização e novos aprendizados. A troca de experiências é um fator riquíssimo em eventos grupais que possibilita a sensação de pertencer a um grupo e de não estar sozinho no mundo. A vida passa a ter mais sentido existencial. Em qualquer idade é possível novos aprendizados, seja dentro da educação formal, seja na educação não formal.

Enfim, ter o tempo livre na terceira idade não significa estar num vazio, e sim possuir a oportunidade para conhecer mais profundamente as pessoas, lugares, culturas diferentes, aprender coisas novas, fazer novas amizades, fortalecer as já existentes e ampliar nosso olhar sobre o mundo permanecendo, assim, um ser ativo socialmente.

 

Débora Guizoli

Psicóloga – CRP 04/31433

(Instrutora de Oficina de Memória)

Especialista em Gerontologia

www.memoriaativa.com.br

debora@memoriaativa.com.br

Débora Guizoli

É psicóloga, com pós-graduação em Gerontologia pela PUC Minas. Atua como Instrutora de Oficina de Memória no SINJUS-MG. Possui experiência com trabalhos em grupo focados em Estimulação Cognitiva e Desenvolvimento Humano.

Meus últimos artigos

ver mais
ARTIGO Luto ao envelhecer sexta-feira, 19/01/18 11:33
ARTIGO Agradecer sempre quinta-feira, 14/12/17 13:24

Convênios

ver mais
Top