É possível melhorar nossa memória?

sexta-feira, 15/07/16 17:00

*por Débora Guizoli

No envelhecimento é comum queixarmos da nossa memória. Às vezes começamos a esquecer onde colocamos os objetos, esquecemos nomes, endereços, e em casos mais graves os esquecimentos começam a atrapalhar nosso cotidiano. Quando isso ocorre, devemos procurar ajuda profissional.

Mas como podemos melhorar nossa memória para que os esquecimentos não se agravem? Apesar de não existir uma maneira de resgatar toda a memória perdida, é possível melhorar em muitos casos o desempenho da mesma por meio de estratégias cognitivas e comportamentais. O cérebro quando é estimulado, se reorganiza e novas sinapses (ligações entre neurônios que são as células cerebrais) são criadas, possibilitando diferentes respostas para o ambiente.

A Oficina de Memória, por meio do treino cognitivo (processo de aquisição de conhecimento) contribui para ativar o cérebro e assim melhorar nossa memória. Essa melhora é bastante perceptível nos frequentadores das Oficinas. Nela são realizados exercícios de memória, raciocínio, linguagem, associação, orientação entre outros, praticados de maneira sistemática, para aumentar o desempenho cerebral, ou seja, aumentar as conexões entre os neurônios. A Oficina de Memória também possui função terapêutica, pois é um trabalho clínico em grupo com objetivo de promover a socialização e a sensação de amparo mútuo, fundamentais para o bem estar e saúde mental reduzindo assim a ansiedade e a depressão, fatores estes que prejudicam a memória.   

Farei uma pequena lista de estratégias cognitivas e comportamentais ensinadas nas Oficinas de Memória:

· Seja organizado, cada objeto deve ter um lugar específico em casa.

· Diga em voz alta onde está deixando o objeto, o cérebro registra melhor quando ouve nossa voz.

· Quando for apresentado a uma pessoa diga o nome dela na conversa várias vezes.

· Leia sempre! Mas evite ler em lugares barulhentos e escolha uma cadeira boa para que fique bem confortável, mas que não dê sono. Dê preferência para uma parede vazia à sua frente para evitar distrações e aumentar a atenção. Faça perguntas para você mesmo sobre cada parágrafo lido. Escreva um resumo do capítulo antes de começar o outro.  Isso facilitará o entendimento e aumentará a fixação do conteúdo lido.

·  Ative os cinco sentidos do corpo humano (audição, olfato, paladar, tato e visão) principalmente em lugares abertos.

· Aprenda sempre algo novo, como por exemplo, uma curiosidade geográfica, outro idioma, uma dança nova, etc.

· Utilize agenda e lembretes. Estes recursos externos nos ajudam a organizar nossa rotina.

· Faça a lista de compras organizada por categorias de itens, memorize-a em casa e leve-a para o supermercado. Tente lembrar-se da lista sem consultá-la, só conferindo os itens no final, antes de pagar.

· Pratique esportes e tenha uma alimentação equilibrada.

· Durma com qualidade.

Portanto, caro leitor, estas são algumas dicas trabalhadas nas Oficinas de Memória que possibilitam uma melhora desta importante função cerebral. Mas lembre-se de praticá-las com disciplina e se possível participe de treinamentos de estimulação cognitiva! A memória necessita de estímulo constante!

Débora Guizoli

Psicóloga (CRP 04/31433)

(Instrutora de Oficina de Memória)

Pós-graduanda em Gerontologia pela PUC/MG

debora@memoriaativa.com.br

www.memoriaativa.com.br

 

Débora Guizoli

É psicóloga, com pós-graduação em Gerontologia pela PUC Minas. Atua como Instrutora de Oficina de Memória no SINJUS-MG. Possui experiência com trabalhos em grupo focados em Estimulação Cognitiva e Desenvolvimento Humano.

Top