reforma da previdência

Conheça os pontos do novo texto da reforma da Previdência

quinta-feira, 23/11/17 12:59

Propostas de transição e idade mínima foram mantidas
Servidores públicos terão sistema equiparado
Tempo mínimo de contribuição continuará em 15 anos

O relator da reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS-BA), divulgou nesta 4ª feira (22.nov.2017) nova versão do projeto. O texto foi apresentado durante jantar oferecido pelo presidente Michel Temer para deputados aliados. Leia a íntegra.

Os principais pontos são idade mínima, regras de transição e igualdade entre regras para servidores públicos e o setor privado. Eis 1 resumo:

Idade mínima e regras de transição

Hoje, há 2 formas de aposentadoria: por idade mínima e tempo de contribuição. Por idade mínima, são necessários 65 anos para homens e 60 anos para mulheres com, no mínimo, 15 anos de contribuição. Por tempo de contribuição, são necessários 35 anos para os homens e 30 para as mulheres.

A proposta acaba com a aposentadoria por tempo de contribuição e determina uma idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens. A regra valerá integralmente daqui a 20 anos, até lá, haverá uma regra de transição.

A idade mínima começará em 53 anos para mulheres e 55 anos para homens. Será cobrado 1 pedágio de 30% sobre o que faltar para completar 30 anos de contribuição para mulheres e 35 anos para homens. Depois, a idade mínima será aumentada em 1 ano a cada 2.

FUNCIONALISMO

O governo afirma que 1 dos principais objetivos da reforma é acabar com os privilégios do funcionalismo e reduzir a diferença entre servidores e contribuintes do setor privado.

Pelo texto do relator, quem ingressou antes de 2003 no serviço público e quiser manter a integralidade e paridade precisará cumprir a idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens. Para quem ingressou depois, haverá equiparação de pontos entre os dois sistemas.

TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

O texto não traz alteração em relação ao que é adotado hoje, ou seja, tempo mínimo de contribuição de 15 anos.

Quem contribuir por 15 anos receberá 60% do benefício. Para ganho integral, serão necessários 40 anos de contribuição. A proposta anterior estabelecia 25 anos de contribuição mínima, com garantia de 70% do benefício.

DRU

Outro ponto de modificação é em relação à DRU (Desvinculação de Receitas da União), que direciona parte do que é arrecadado com Previdência para uso livre do governo em outras áreas. Pelo texto, as contribuições sociais deixarão de ser submetidas à DRU.

APOSENTADORIA RURAL E BPC

Mudanças previstas no relatório da comissão foram retirados. Com isso, não há alterações do que é adotado hoje.

Fonte: Poder 360

Matérias Relacionadas

Diga não: proposta de Reforma da Previdência não tem nada de “enxuta”. É o fim da aposentadoria

Fenajud intensifica campanha contra a reforma da Previdência

CDH discute Previdência Social em audiência pública com presença da Fenajud

 

Últimas notícias

ver mais
INFORMAÇÃO AOS SERVIDORES SINJUS REQUER TRANSPARÊNCIA DO TJMG EM SUAS DEMANDAS sexta-feira, 20/07/18 14:36 O Sindicato dos Servidores da Justiça de 2ª Instância do Estado de Minas Gerais ...
AUXÍLIOS E DATA-BASE ENCONTRO COM TJMG FRUSTRA SINDICATOS quinta-feira, 19/07/18 19:19 Com o intuito de destravar as tramitações dos projetos da Data-Base 2017 e dos ...
CAP FALTA DE QUÓRUM ADIA VOTAÇÃO DOS AUXÍLIOS MAIS UMA VEZ quinta-feira, 19/07/18 12:08 O Projeto de Lei (PL) 5181/2018, que concede os Auxílios-Saúde e Transporte aos servidores, ...
Top